1.10.05

um pensamento de josé luís peixoto

«penso: talvez o céu seja um mar grande de água doce e talvez a gente não ande debaixo do céu mas em cima dele; talvez a gente veja as coisas ao contrário e a terra seja como um céu e quando a gente morre, quando a gente morre, talvez a gente caia e se afunde no céu. um açude sem peixes, sem fundo, este céu. nuvens, veios ténues. e o ar a arder por dentro, chamas quentes e abafadas na pele, invisíveis.»

(in nenhum olhar, temas e debates)