4.9.05

um fragmento de gonçalo m. tavares com título de filósofo francês

«havia uma técnica para escrever e uma técnica para ser escrito. o escritor tem uma técnica para escrever, assim como o papel em branco tem uma técnica para ser escrito.
ser fraco é uma técnica, tal como ser forte. tudo pode ser feito de um modo melhor ou pior. a alegria ou um planeta. o sol pode ser sol de modo mais eficaz ou menos. estou a olhar para ti, tu para mim, e enquanto mantivermos quatro olhos lúcidos e cruzados nenhuma maldade existirá. mas ninguém consegue manter os olhos claros sobre outros olhos claros durante muito tempo. a maldade é um objecto que encontrarás na manhã seguinte. onde quer que adormeças esse objecto encontra-te.»

(michel foucault, in biblioteca, campo das letras)