7.8.05

uma arte poética de juan luis panero

«a comprida, vagarosa língua da morte
lambeu a mão daquele que escreve,
lucidez ou loucura, ninguém sabe:
só restam palavras, palavras roídas.»

(in antes que chegue a noite, trad. antónio cabrita e teresa noronha, fenda)