21.7.05

parafilia

tatuava no corpo uma fragilidade imaginária: nódoas negras, cicatrizes, fracturas expostas.